domingo, 6 de setembro de 2009

porta única

Eu sempre deixo a porta entreaberta. No entanto os outros me alertaram: "Cuidado, pessoas mal intencionadas podem ir ao seu encontro". Focava meus olhos na porta, e ao invés de fechá-la, trancá-la, e jogar a chave entre outras chaves para se perder no meio, escancarei ainda mais a porta, e de birra, coloquei um tijolo bem pesado em seu "pé", para o caso de algum vento querer fechá-la sem a minha permissão. Ora, ora.. pela mesma porta que entra o veneno, também pode entrar a minha salvação.

Um comentário:

Rodrigo disse...

Nossa! Só eu sei como mexeu comigo essas suas palavras... Já senti isso... esse desejo por nunca fechar a porta!