quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Mais um fim.

Durante o ano não pensei em como seria o fim do mesmo, e nem com quem desejaria passar. Não planejei nenhuma festa, se quero muito barulho ou apenas um jantar para relaxar. Fogos de artifício, fumaça, brilho, pessoas com as mãos para cima, contagem regressiva, ano novo. E mais uma lista de coisas que eu irei fazer ano que vem - tudo mentira. Vou emagrecer, amar alguém, me sentir bem comigo mesmo, aproveitar a minha vida. Se eu soubesse que estaria onde estou agora, certamente não pensaria a doze anos atrás que tudo foi previsível demais. Pelo contrário, foram muitas novidades. Mas não foram boas novidades. Em relação as amizades, conheci poucas pessoas, e provavelmente todas eu consegui afastar naturalmente. Naturalmente? Poucas conseguem lidar com meu jeito de superação. Eu fico ali, por perto, e uma hora ou outra, sem motivo aparente, eu me afasto. Não é de um, nem de outro, é de todos. Faz tempo que eu deixei de dividir meus problemas com alguém. Me acostumei a dividir apenas os bons momentos, e talvez por isso eu seja visto de uma forma distorcida. E talvez por ser visto assim, as pessoas geralmente acham que eu sou muito forte, muito racional, e muitas vezes... muito frio. Algumas coisas infelizmente eu não posso explicar. Não posso explicar o motivo de rejeitar alguém, e nem o motivo de não me arriscar na primeira paixão que aparece pela frente. Foi mais um ano que passou, mais um fim que se aproxima, e por que não dizer que é um ciclo que se finaliza? Porque não é assim que parece. Este ciclo que deveria ter acabado, vem perdurando faz alguns anos. E não, não foi nesses doze meses que eu consegui quebrá-lo, embora nesses últimos dias eu venho pensando bastante nisso, e talvez tenha encontrado a resposta que queria. Só que não é simples, de novo me deparo com a palavra risco, coragem... Que por sua vez trazem junto a palavra incentivo. Não quero me estender no assunto, Scott disse que eu me estendo muito nos assuntos, em tudo, e talvez seja por isso que eu - no dia a dia - sou meio incompreendido pelos demais. Vocês entenderam, certo? Espero que sim. É o fim. E por enquanto, só mais um dia de trabalho que termina. O ano? Calma, ainda falta um pouquinho, não vamos nos despedir assim tão rápido.

3 comentários:

Três Egos disse...

O ano ainda está longe de acabar mesmo, em um mês pode acontecer muita coisa. Ou não. Algumas amizades acabam mesmo com o tempo, mesmo quando vc quer conservá-la. No seu caso, pode ter sido muitas ou quase todas. Mas o importante foram aqueles momentos vividos com seus amigos da época. Muitas vezes cada um segue seu rumo mesmo, mas sempre lembraremos dos bons momentos.

Beijo!

Lue disse...

Entendi...
cada linha, cada suspiro, cada vibração, cada ponto invisível discorrido pelas letras. E me encontrei parada em algum parágrafo.

...Ano novo é uma possibilidade de reiventar novos risos ;D


Beijo!

Lue disse...

reinventar*