quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Fidel[idade]

Há quem diga que jovem não é fiel, devido a sua idade imatura, a sua gana de aventura, de sempre querer aproveitar a vida, e assim nunca parar no colo de ninguém. Eu quis aproveitar minha juventude da "pior" maneira possível, tinha o intuito de ficar com diversas pessoas, e não me prender em ninguém tão cedo. Eu só não sabia que isso não fazia parte de mim.. nunca fez, e talvez nunca faça. É, ainda sou jovem, mas a minha maneira de aproveitar a vida é incomum. Pelo menos aos olhos de grande parte das pessoas da minha idade, que estão SEMPRE em festas, que estão SEMPRE bebendo, que estão SEMPRE saindo com qualquer pessoa sem compromisso. Eu poderia ser um desses, e até aceitaria, mas não sou. Não, não sou careta ao extremo. Não gosto SÓ de ficar em casa, não bebo só suco natural (apesar de ser melhor do que uma bebida alcoólica, em termos de saúde.). Já fiz dessas de curtir ao extremo, ficar com mais de uma pessoa em uma só noite sem compromisso, e etc. Serviu de experiência, de aprendizado, é uma história diferente a mais para contar depois, mas acabou por aí. Fidel[idade] não tem nada a ver com idade, e sim com quem você é realmente, independente de quantos anos você tenha. Não é porque estou na idade do "prenda-me se puder", que minha personalidade precisa condizer com isso. Não quero ser o diferente para tentar impressionar alguém, para mostrar que sou uma pessoa séria, meu diferencial vem de dentro, não é algo que eu possa mudar, transferir, cancelar ou trocar. Uma qualidade? Acho que sim, pelo menos eu considero uma. Já tentei seguir pelo caminho errado, por achar que o caminho certo não estava me levando a lugar algum, mas deve ser um pensamento incorreto. Provavelmente, o caminho incerto me levaria a uma pessoa incerta. O caminho que eu sigo ainda não me fez chegar a um lugar concreto, mas isso deve ser questão de tempo. O que eu quero dizer, é que eu não sou do tipo que fica por aí atrás de qualquer pessoa, só pra manter uma imagem de alguém que eu não sou para as outras pessoas, para elas não comentarem coisas como "faz tempo que ele não fica com alguém...", eu pouco me importo pra opinião alheia sobre minha situação sentimental, mas também não vou mentir, de fato, às vezes bate um vazio, como se algo que você quisesse tanto nunca fosse acontecer, como se aquilo não fosse pra você. Não era meu intuito fazer uma propaganda, mas de repente, as pessoas podem lhe ver de uma forma diferente da qual você realmente gostaria de ser visto. Olha aí, eu me preocupando com a opinião dos outros, rs. Quer dizer, não é a opinião dos outros que me importa, e sim a sua.



"Sessenta segundos, e eu posso te convencer."

4 comentários:

Z disse...

voce escreve bem a parte ali do fidel[idade] tadinho do fidel não ta tão velho

Visite o Avestruz Albino
http://avestruzalbino.blogspot.com/
Procura-se Parceiros!!

jah vou te linkar lah

Point Clear disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago Teles disse...

Minha adolescência foi uma loucura, e nunca parei pra pensar na época o quanto seria importante viver tudo o que vivi. Aproveitei bem o tempo e hoje evito passar por certas situações por conhecer já um pouquinho da vida.
Mas têm os momentos em que a vida te prega peças. Quando você não gosta e acaba perdendo alguém legal, por ser orgulhoso, ou mesmo não querer perder tempo com algo inútil.

Ou quando realmente você faz a besteira de se apaixonar, besteira é? nem sei.... Besteira ou não, falsa paixão ou não, o importante é tentar, pra não se culpar depois e manter a duvida, o será que haveria dado certo?

Mas quando somos adolescentes essa idéia de mundo ainda não é presente, porque tem-se a vontade de aproveitar e de conhecer. Absolutamente válido, e totalmente necessário...

^^

paradoxico imperfeito. disse...

muito válido teu texto. Sinto um desprezo terrivel por pessoas que ficam com mais de uma na noite, parece que usa as pessoas, parece não usa realmente, as pessoas como se fosse uma roupa, usei me cansei e vou trocar... belo texto, parabéns.