sábado, 2 de abril de 2011

Mancha tecnológica.

Eu ainda lembro da época em que choviam cartas. Um telefonema era o mais longe que podíamos estar de outra pessoa. As conversas no portão de casa às sete horas. Os seus, os meus filhos, irão lembrar disso? Eles chegarão em uma era totalmente devastada pela tecnologia. Não que eu ache isso totalmente ruim, mas eu gosto mais da época passada. Onde foram parar as brincadeiras no meio da rua? A roupa suja de areia? Há quem diga que foi um avanço que veio para o bem, eu não sei. De fato, trouxe coisas que hoje se tornaram indispensáveis para muita gente, como o próprio celular. Não, não tenho celular. Com isso percebi o tanto que a tecnologia me pediu em troca, quando eu deixei que a mesma adentrasse minha casa.

- Sua vida pode se tornar mais fácil, mais moderna... Você quer?

Eu devia ter hesitado, respirado fundo, e batido a porta na cara dela. Mas aí eu já estava totalmente apegado aos computadores e jogos eletrônicos. Li rapidamente o contrato, e esqueci das linhas em amarelo, que acabaram passando despercebidas. Era simples, nessas mesmas linhas estava escrito o que seria tomado de mim em troca de tanta modernidade. E se foram as cartas, as conversas tarde da noite no portão de casa, e aquela chuva de cartas que chegavam por correio, e pela própria mão de quem as escrevia. Toda essa sensibilidade, deu lugar ao "feliz aniversário" via redes sociais, aos SMS contando as novidades, as idas para a pizzaria sábado a noite sumiram, tudo que era de valor sentimental sumiu. E ainda que não tenha se acabado por completo, até você mesmo que ainda convive diariamente com seus entes queridos, vai concordar que tudo mudou um pouco, deu uma esfriada. Bem, eu que já era deslocado socialmente só precisava desse avanço para me encontrar sozinho em meio a tantas pessoas maravilhadas com essa incrível tecnologia.

A tecnologia revolucionou, e só agora eu me dei conta de que para isso, levou consigo boa parte do que me respondia enquanto ser humano. Fazer o que, não é? Enquanto não houver uma máquina do tempo, o jeito é se adaptar e... calma aí, preciso responder um e-mail agora, já volto.

5 comentários:

Leonardo disse...

A evolução é um acontecimento tão sem sentido agora. Parece que já chegamos aonde definitivamente deveríamos ter chegado. Parece que está tudo nas prateleiras ou em algum site com entrega em até 24h. Óbvio que faltam muitas curas e muitas idéias a se completarem com a nossa realidade. Mas na contramão disso parece que tudo não passa de uma nova atualização e todo mundo deve apertar o botão para o download e de novo e de novo e de novo e mais uma vez. A meu ver, eu também acho que as melhores coisas se perderão... as famílias se perderam... a minha família se perdeu... estamos todos perdidos! Como eu nasci nos anos 80 e do ano de 2088 eu não passo, creio que uma hora ou outra eu deva obrigatoriamente me enquadrar na nova ordem que nasceu ontem, pois caso contrário eu serei deletado.

Leonardo disse...

Desculpe-me pelo descaso... e pelos meus erros ortográficos!
Abraço

Paulo disse...

E as modernidades que cada dia mais nos deixa "leigos" nesse assunto, com o passar do dia estamos ficando FRIOS pessoalmente e quente nos novos meios de comunicação, pela internet ninguem eh timido, mais pessoamente isso muda. belo texto João.

Lu Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lu Nascimento disse...

Olá, João! Há tanto tempo sem vir aqui...

Teu texto tá demais!
Concordo que a tecnologia corrompe o ser humando e vai transformando-o em uma espécie de máquina: sem sentimentos, artificial e compulsiva. Penso que o pecado está na forma como as pessoas recebem essas inovações tecnológicas, porque não era pra tecnologia conduzir o homem, mas sim o homem conduzir a tecnologia.

Ah, tava com saudade daqui.
Até breve (;
Abç!