terça-feira, 12 de abril de 2011

Onde é minha casa?

Não sei a que lugar pertenço. E nem para quais pessoas devo me abrir. Não sei mais quem são as pessoas dignas de confiança. Não sei de quem devo me aproximar, quem devo repelir. Eu não sei mais onde é a minha casa. Não gosto daquelas cores, não sei de onde vieram aqueles móveis feios, opacos, sem brilho. Tiraram as cortinas, as jarras de água, os tapetes, mudaram a cama de lugar e jogaram fora as medalhas. Quem são essas pessoas que comem comigo à mesa? Quem são essas pessoas que me ligam dizendo que eu sumi, e que eu tenho que aparecer? Eu sumi? Sempre tive a impressão de nunca ter saído do lugar, e algumas pessoas falam justamente o contrário. Cadê os melhores amigos? De quem sou melhor amigo? Ninguém. Se dizem ter saudade de mim, deve ser da riqueza que ainda vou ter um dia... do que mais poderia ser? Ou você vai me dizer que é sincero, que não existe interesse por trás de tanta bondade? Eu cresci assim, desconfiado de tudo, desacreditado do mundo. Vivia enquanto assistia pessoas serem decapitadas pela traição de outro, pequenos grupos de nômades rompendo no meio da estrada. Colhi os cacos de inocentes. Mesmo lembrando da trajetória, não sei onde era minha casa... Tudo soa estranho, principalmente aqueles a quem chamo de amigos.

Um comentário:

Lu Nascimento disse...

Será que erramos o caminho?? dobramos a esquina errada??
Não haviam placas de aviso, nem sinal de casa alguma...